Criopreservação

CONGELAMENTO EMBRIONÁRIO

A criopreservação de embriões revolucionou a fertilização in vitro e elevou as taxas de sucesso. As vantagens incluem inseminar todos os oócitos, limitando o número de embriões transferidos e proporcionando às pacientes uma chance adicional de engravidar em passar pelo processo de estimulação ovariana no ciclo de FIV. A criopreservação embrionária é obrigatória para pacientes que irão realizar PGD/PGS em seus embriões. O descongelamento e transferência dos embriões são feita em ciclos programados que incluem o uso de medicamentos para beneficiarmos o endométrio que irá receber os embriões.

CONGELAMENTO EMBRIONÁRIO ELETIVO

Em alguns casos a indicação para criopreservação é estritamente clínica, advinda da avaliação da paciente pelo seu médico. Nesses casos todos os embriões são criopreservados e somente serão descongelados no momento que a avaliação clínica seja favorável à transferência.

CONGELAMENTO DE ÓVULOS

É uma alternativa para aqueles casais que não desejam o congelamento de um número excessivo de embriões. Também pode ser utilizada em mulheres que desejam preservar sua fertilidade ou que se submeterão à quimio ou radioterapia como tratamento de câncer.

CONGELAMENTO DE OVÁRIO

Trata-se de uma estratégia para mulheres jovens que querem garantir uma futura gravidez com seus próprios óvulos, quando elas já estiverem com idade avançada. Também é um método usado por mulheres com câncer, para preservar a saúde que o óvulo tinha antes do início do tratamento. Quando o casal decidir que quer conceber, os óvulos poderão ser fertilizados em laboratório e os embriões transferidos para o útero da paciente. Deve-se ressaltar que ainda é uma tecnologia experimental.

CONGELAMENTO DE SÊMEN

Este tratamento é indicado para casais cujo parceiro não possa estar presente na Clínica no dia da punção ovariana ou no dia da inseminação; pacientes que precisem congelar o sêmen devido a uma doença ou tratamento que coloque em risco o potencial reprodutivo do homem – como radio ou quimioterapia ou ainda nos casos em que se realiza uma biópsia testicular à procura de espermatozoides. O processo consiste na coleta do sêmen através da masturbação; preferencialmente em várias amostras. O sêmen coletado será congelado a -196Cº e armazenado por tempo indeterminado, podendo ser descongelado e utilizado no momento adequado para o paciente.