Cultura de Blastocisto

Após fertilizado, o embrião divide-se e tem um aumento rápido no número de células. Atingindo o quarto dia de desenvolvimento, essas células, agora numerosas, compactam-se formando um aglomerado celular, chamado de mórula. Entre o final do quarto dia e o início do quinto, o embrião passa por um momento importante em seu desenvolvimento; inicia-se a formação de uma cavidade contendo líquido. Durante o quinto dia essa cavidade aumenta, formando o que chamamos de blastocisto.

O desafio para a equipe de fertilização in vitro é escolher os melhores embriões; com maior potencial de gerar uma gravidez. A transferência embrionária pode acontecer do segundo ao sexto dia de desenvolvimento. Recentes avanços tecnológicos, como as incubadoras trigás, proporcionaram melhorias no cultivo embrionário. Consequentemente tende-se a prolongar o cultivo in vitro, visando uma melhor seleção dos embriões a serem transferidos. Aliado a isso há uma tendência a diminuição no número de embriões transferidos, evitando os riscos de uma gravidez múltipla.

A cultura de blastocisto é indicada a pacientes mais jovens, receptoras de óvulos ou pacientes com bom prognóstico. Ela também é fundamental para os casos com indicação de PGD/PGS.